Criatividade

Apesar de estar elencada como a terceira habilidade socioemocional mais importante para 2020, de acordo com o Fórum Econômico Mundial, acredito que ela deveria  estar no topo. Pois sem desenvolvermos esta Soft Skill, teremos mais dificuldades em resolver problemas complexos ou ter pensamentos críticos e uma melhor argumentação, que são as duas habilidades que vem antes desta. 

Contudo, independente da posição em que seja colocada, entender o que é a Criatividade e nos apropriarmos do processo criativo é um diferencial não só para nossa carreira, mas também para alcançarmos uma vida mais repleta de significado. 

Aqui, me refiro à Criatividade em sua forma mais genuína, longe da leitura enviesada na qual sua imagem foi construída ao longo da história, que a colocam na posição de um dom supremo, presenteado pelo universo a somente alguns mortais.

Em seu livro “Somos Todos Criativos”, Ken Robinson apresenta de maneira genuína o trajeto da criatividade na história da nossa sociedade e da educação, que relegaram esta habilidade a somente algumas áreas de conhecimento, como por exemplo: as artes. Além deste desmembramento histórico, Robinson ressalta a urgência em revisitarmos nosso potencial criativo e fazermos dele uma ferramenta cotidiana nas nossas relações com o mundo, citando que 

“É pelos sentimentos, assim como pela razão que encontramos nosso verdadeiro poder criativo. É por ambos que nos conectamos uns com os outros e criamos os complexos e mutáveis mundos da cultura humana”. 

A criatividade, é esta força inspiradora, nata de todo ser humano, que nos fez inventar a roda e o byte, por meio do lúdico e da ciência. Que nos ajuda a criar soluções para os pequenos problemas do cotidiano e, também, para os problemas mais complexos, que tanto os cientistas quanto as empresas tentam desvendar. Além de todos os resultados concretos que criatividade traz a nossa vida, na formas de descobertas científicas, inovações nos negócios, na arte que colore nossas vidas, ela também é apresentada em diversas pesquisas como fonte de benefícios para nossa qualidade de vida. 

Estudos, como o da Associação Americana de Arteterapia, apontam para a significativa redução no nível de cortisol no nosso corpo após a execução de atividades criativas. Ou seja, o simples ato de fazer desenhos em um pedaço de papel de maneira livre, pode ser um antídoto contra o stress. Já testou fazer uma pausa criativa quando suas idéias para resolver um problema não estão fluindo? 

Neste breve texto, não desejo simplesmente apresentar técnicas e teorias que embasam o desenvolvimento dessa importante Soft Skill. Quero te convidar para visitar os recantos da tua existência e se conectar com todo o potencial criativo que já está aí.

Como seres humanos, somos dotados dessa habilidade desde o nascimento. Somos capazes de criar novos negócios, novos produtos e principalmente novos caminhos para a nossa jornada.  Somos cocriadores de todas as realidades que escolhemos experimentar. Somos criativos por natureza. E citando a natureza, te convido a observar uma flor. Ela não precisa se esforçar de maneira proposital para criar cada folha ou cada pétala, ela simplesmente existe. Todo seu potencial criativo já está lá. 

Assim como as demais Soft Skills, a Criatividade pode sim ser desenvolvida e aprimorada. Para isto, abrace sua vulnerabilidade, permita-se ser você, permita-se errar. Não é possível vivermos de maneira plena e com ousadia ao mesmo tempo em queremos nos proteger com o escudo do perfeccionismo. Como ressalta Brenè Brown, no livro “A coragem de ser imperfeito”:

“O perfeccionismo esmaga a criatividade – e é por isso que um dos meios mais eficientes de abandonar o perfeccionismo é começar a criar”. 

Comece pelas atividades em que você já se sente à vontade para criar, seja desenvolvendo uma ideia de negócio, uma receita inusitada ou um novo poema. A partir do momento em que baixamos as barreiras do que nos bloqueia, a criatividade acha espaço para fazer morada em nossas vidas e contagia as demais áreas da nossa vida. 

Para ajudar neste caminho de despertar criativo, deixo algumas dicas: mantenha viva a sua criança que é curiosa e liberta de julgamentos; esteja disposto a aprender, desaprender e reaprender sempre; mantenha-se sonhador e liberte sua imaginação; abrace a felicidade que vem das coisas simples e se embriague de natureza.

A criatividade vem da conexão verdadeira com tudo o que somos, com toda a bagagem que já trazemos de conhecimentos e com o universo que nos cerca. Conexão, esta é a palavra-chave desta Soft Skill. Sendo assim, desenvolver esta habilidade é um ato de auto-empatia, de começar mergulhando em si mesmo e ao mesmo tempo sobrevoar um mundo possibilidades.

Das inúmeras descrições desta Soft Skill, uma das que mais me encanta é de Einstein:

“Criatividade é a inteligência se divertindo”.

Então fica aqui o meu convite:

Permita-se. Criative-se.

Um abraço, 

Ana Barcellos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: